quinta-feira, 17 de setembro de 2015

AMOR - O Maior Mandamento

“Mestre, qual é o grande mandamento da Lei? E respondendo-lhes Jesus disse: Amarás o SENHOR teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento; e o segundo é semelhante a este, amarás o teu próximo como a ti mesmo, desses dois mandamentos dependem toda Lei e os profetas”. (Mt 22.37-39)

Introdução

No Antigo Testamento havia cerca de 613 Leis que os judeus deveriam cumprir rigorosamente. O cumprimento no entanto, era apenas um ato externo, não produzindo nada significativo na vida espiritual. Eram extremamente religiosos, no entanto, não praticavam o que sabiam, principalmente aqueles cuja responsabilidade era maior, os grupos sacerdotais de Israel que eram os mestres das Sinagogas. Jesus, por diversas vezes os censurou, não pela observância da Lei, mas contra o legalismo farisaico hipócrita que os levava a realizar os pormenores da Lei, não por serem obedientes a Deus, mas para obterem dEle algum benefício. Jesus os leva a considerar que de nada adianta o fazer por fazer ou fazer para ser notado, ou por outro motivo, e sim, o fazer com amor e por amor. Por amor a Deus, em primeiro lugar e ao próximo como resultado desse amor.

Contexto Histórico

Havia dois grupos que compunha a classe sacerdotal da época de Jesus em Israel, eram estes os saduceus e fariseus, a quem cabia interpretar a Lei. Embora houvesse algumas diferenças entre esses dois grupos, o fato de serem versados na Lei os colocava numa posição de mestres. Porém, corria a fama de que um certo homem chamado Jesus estava também ensinando e fazendo muito sucesso no meio do povo, por onde quer que passasse. Ele usava uma didática diferente que atraía multidões, ávidas por ouvi-lo. Esse fato despertou curiosidade e ciúmes nesses homens que se achavam os únicos em condições de interpretar a Lei. Eles começaram a observá-lo mais de perto e por diversas vezes o interpelaram com questões polêmicas a fim de pegá-lo em alguma contradição que viesse a desacreditá-lo diante dos que o acompanhavam.

Porém, não foi exatamente isso que aconteceu. Conhecendo a intenção de seus corações, Jesus os chamou de hipócritas por diversas vezes. No entanto, não se omitiu em responder a nenhuma pergunta feita e, com muita sabedoria pegava o tema em questão e o transformava em uma aula para que todos os ouvintes também pudessem aprender. Essa atitude o colocava na posição de um grande mestre. Isso causava constrangimento e desconcertava seus inquisidores.

As Questões Propostas pelos Mestres da Lei a Jesus

Em uma dessas ocasiões os fariseus se reuniram para discutir qual seria a melhor forma de surpreendê-lo em alguma palavra (Mt 22.15) e por fim, depois de muito rodearem com lisonjas, o questionaram acerca dos tributos, se era ou não lícito pagá-los ao que Jesus respondeu: “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus (Mt 22.19-21). Semelhantemente, nesse mesmo dia, os saduceus o interrogaram acerca da ressurreição dos mortos, fato em que não acreditavam (v 23. ) e Jesus respondendo lhes disse: “Deus não é Deus dos mortos e sim dos vivos, pois para ele todos vivem (Mt 22 31,32). O Evangelho de João diz que: “Cristo é a ressurreição e a vida e todo aquele que crer nEle ainda que morra viverá” (Jo 11.25). Assim respondendo, deixou os mestres da Lei calados, sem terem palavras para refutar.

Os fariseus ficaram sabendo sobre o que sucedera aos saduceus e se reuniram para planejarem uma outra forma de abordagem para colocarem um ponto final no que para eles era uma questão de honra (Mt 22.34). Escolheram um doutor da Lei, para fazer as perguntas (v 35), talvez esperando com isso dificultar as respostas. A questão levantada foi acerca de qual seria o grande mandamento da Lei. Ouvindo-os mais uma vez, de pronto, Jesus respondeu: “amarás o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu pensamento; Este é o primeiro e grande mandamento; E o segundo, semelhante a este é: amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22.37-39).

Jesus Responde com Base nas Escrituras

A pergunta feita pelo doutor da Lei exigia um conhecimento profundo para ser respondida. Como resposta, jesus faz menção a duas passagens muito conhecidas por todos eles, no Antigo Testamento, confirmando o que Ele dissera nas Bem-aventuranças : “Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Eu não vim para anular, mas para cumprir” (Mt 5.17).

Referências que Jesus utilizou

Dt 6.5- Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças”.

Lv 19.18b - “mas amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Jesus, de maneira simples, mas muito profunda responde com base nas Escrituras, o questionamento que lhe fora proposto:

Mt 22.37 “amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.

Ele usa três palavras aqui: coração, alma e entendimento, com isso reforçando que o amor a Deus deve brotar de todo o nosso ser e por isso, prestamos a Ele um culto racional conforme está escrito (Rm 12.1). Esse é o resumo da Lei.

Aplicação: Quando entendemos que devemos amar a Deus com todo o nosso ser, somos direcionados à obediência e ao serviço. Jesus Cristo falou certa vez: “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos” (Jo 14.15). E mais adiante torna a repetir dizendo: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai e eu o amarei e me manifestarei a ele” (Jo 14.21). Então, guardar os mandamentos é condição absolutamente necessária para que haja um relacionamento com Deus e para que Ele se manifeste a nós.

Exigência que Deus faz a nós

“Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor teu Deus pede de ti, senão que temas o Senhor teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma, Que guardes os mandamentos do Senhor, e os seus estatutos, que hoje te ordeno, para o teu bem. ( Dt 10.12,13)

A Palavra de Deus sempre exigiu de seu povo a mesma coisa.

Jesus conclui dizendo: “Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas” (Mt 22.40) . O que o texto está nos dizendo é que toda a Lei seria cumprida em Jesus Cristo. Que todos os ensinamentos dados pelo Pai seriam cumpridos e perfeitamente obedecidos na pessoa de Jesus, a quem Ele enviou, para que os homens entendessem para onde tudo deveria convergir.

O livro de Provérbios nos ensina que “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Pv 9.10a). O temor é o princípio porque do temor vem a obediência, o “andar nos seus caminhos”, o amor é a base do relacionamento com Deus. Quem ama serve. Não por obrigação, mas com alegria porque vem de um sentimento que brota do coração. O temor ao SENHOR nos impulsiona a guardar os seus mandamentos.

Trazendo à Memória as Escrituras – Lc 24.13-35

Quando Jesus ressuscitou, dois de seus discípulos estavam à caminho de Emaús, muito abatidos com os últimos acontecimentos. Não conseguiam compreender ainda o fato de Jesus havia morrido. Eles caminhavam absortos em suas divagações e tristezas e não percebem que Jesus se junta a eles na caminhada e lhes pergunta o motivo de tanta tristeza. Sem reconhece-lo pois “seus olhos estavam como que fechados (v 16). Eles respondem surpresos à pergunta com outra pergunta pois não imaginavam como alguém poderia não saber do que tinha acontecido. Concluíram que, certamente, devia tratar-se de um viajante que acabara de chegar e puseram a relatar todos os fatos em detalhes deixando transparecer a decepção porque as coisas não saíram como esperavam que acontecesse (v 21).

Aplicação: O sentimento de fracasso cega o entendimento. Muitas vezes geramos expectativas em torno de alguma pessoa ou situação e quando não acontece conforme esperávamos, vem a decepção, a tristeza. Leva um tempo para passar a dor. Assim como os discípulos, muitos caminham absortos em seus pensamentos, em suas tristezas e não se dão conta de que Jesus caminha a seu lado. Ele conhece o que vai no coração de cada um de nós, mas quer ouvir de nossa boca e por isso nos faz a mesma pergunta: qual o motivo de sua tristeza? O que se passa em seus pensamentos?

Nesse momento Jesus os interrompe dizendo: “como vocês são lentos no entendimento e incrédulos de coração! Porventura não convinha que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória? E começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras” (Lc 22.25-27). O que Jesus deixa claro é que tudo o que aconteceu já estava escrito. Se eles não entenderam nada é porque não conheciam as Escrituras e sua fé era pequena porque, apesar de terem caminhado com Jesus e terem tido a oportunidade de ouvir seus ensinamentos de verem os seus feitos, ainda assim, permaneceram na incredulidade, na superficialidade do relacionamento com Ele. Por isso disse Jesus: “Errais não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”.

Aplicação: O conhecimento das Escrituras nos faz compreender o agir de Deus, nos faz aumentar a fé, renova as nossas esperanças e nos fortalece a alma muitas vezes cansada e abatida. Por isso Jesus repete tantas vezes que devemos guardar os seus mandamentos, guardar no sentido de verdadeiramente, pautarmos a nossa conduta nos seus ensinamentos, na certeza de que tudo o que está escrito se cumprirá no tempo certo.

Amor Resume Todo o Mandamento

Quem tem amor, tem misericórdia, tem compaixão, sabe perdoar com facilidade e está livre para adorar somente a Deus. Em Romanos está escrito: “a ninguém devais coisa alguma senão o amor; A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei” (Rm 13.7,8)
“O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor” (v 10).

O Amor verdadeiro não é afinidade, é exteriorização de Deus em nós

O amor, segundo nos ensina as Escrituras, não é um sentimento, mas uma decisão de alinhar a nossa vontade à vontade soberana de Deus, conforme disse o apóstolo Paulo: “Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado” (2Co 12.13). Em outras palavras ele estava dizendo” ainda que, não sendo amado por vocês eu vou continuar amando-os.

O amor a que Paulo estava se referindo não era baseado em afinidades ou numa relação de trocas onde os sentimentos são recíprocos, mas a exteriorização do amor de Deus que está em nós e que se manifesta em atitudes concretas. Por isso Tiago disse que: “A fé sem obras é morta”(Tg 2.26).

O Amor é a Expressão Máxima do Caráter de Deus

O amor é expressão máxima do caráter de Deus. O evangelista João diz: Deus é amor (Jo 4.8) e Paulo afirma que o amor é maior que tudo e sem ele, não somos nada (1Co 13).

A Excelência do Amor

Jesus em suas últimas instruções a seus discípulos disse: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (Jo 13.34,35).

Conclusão

A Excelência do amor se manifestou quando Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele, vivamos. E: ”Se Deus nos assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros” (1Jo 4.7). Quando o amor de Deus se manifesta em nossos corações, damos testemunho de quem Ele é, porque nisto consiste a verdadeira religião. (Tg.1.27)

Sonia Oliveira


Veja aqui alguns dos Estudos disponíveis no Arquivo do blog:
  1. Samuel - Resposta ao chamado de Deus
  2. Juizes - Período Teocrático 
  3. Sansão - Exemplo de Imaturidade 
  4. Gideão - Um Homem Revestido de Poder 
  5. Abimeleque - Ambição Sem Limites 
  6. José do Egito 
  7. Josué e Calebe - Enfrentando o Gigante do Medo 
  8. Josué - A Derrota de Ai 
  9. Palavra de Deus - Uma Mensagem Transformadora 
  10. Evangelizar é Preciso! 
  11. A Vontade Soberana de Deus 
  12. O Espírito Santo a Terceira Pessoa da Trindade 
  13. Páscoa Cristã 
  14. Dons Espirituais 
  15. Missões com Excelência - A boa semente
  16. É Tempo de Despertar 
  17. Epístola aos Filipenses
  18. Virando as Costas para Deus
  19. A Oração de Habacuque
  20. Os Frutos do Espirito
  21. Jabez a Oração que Mudou uma Historia
  22. Os Escolhidos de Deus
  23. Compromisso com Deus
  24. Compromisso com a Verdade
  25. A Familia sob Ataque
  26. Ageu a Reconstrucao do Templo
  27. Jonas a misericordia de Deus
  28. Davi um Coração Quebrantado Diante de Deus