quarta-feira, 13 de abril de 2016

Nova Criatura em Cristo

Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já se passaram, eis que tudo se fez novo” (2Co5.17)

Introdução

Pela fé, quando aceitamos a Cristo como nosso Salvador, somos perdoados de todos os nossos pecados. Experimentamos um novo nascimento e temos uma nova oportunidade. Nesse encontro com Deus, a nossa vida é transformada.

I - Importa Nascer de Novo - Jo 3.3,5,7

“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo” (Jo 3.3,5,7)

É indispensável o novo nascimento para que alguém entre no Céu. A partir de então, assim como uma criança precisa de nutrição adequada para ter um bom desenvolvimento, o novo convertido também necessita do Pão espiritual que é a Palavra de Deus, segundo o que disse o próprio Jesus: “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus” (Lc.4.4). O apóstolo Paulo, referindo-se aos irmãos de Corinto, diz que não podia falar com eles como adultos na fé e sim como a meninos espirituais pois continuavam apenas com os rudimentos do conhecimento, não avançaram, não cresceram. A falta de um conhecimento mais sólido lhes obscurecia o entendimento e por isso eram imaturos, havendo tantas dissensões entre eles.

“E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo; Com leite vos criei e não com manjar, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis” (1Co 3.1,2).

1- Nova Cidadania – Cl 1.13

“Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor” (Cl 1.13)

Ao nascermos de novo, recebemos uma nova cidadania, passamos a ter uma nova identidade. Houve um resgate, fomos transportados de uma condição de escravidão para a liberdade. Não estamos mais sujeitos ao domínio que antes nos subjugava. Fomos retirados de um ambiente espiritual e colocados em outro. Não deixamos de ser quem somos, mas fomos enxertados em Cristo e passamos a recebe dEle a seiva da vida e os nutrientes adequados para o pleno desenvolvimento. 



2 - Processo de Crescimento

Esse processo de crescimento passa pela nossa disposição de aprender. E não somente isso, mas de colocarmos em prática tudo o que aprendemos, conforme diz o apóstolo Tiago.

“Sede cumpridores da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos; Porque, se alguém é ouvinte da Palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural” (Tg 1.22,23).

Se não focarmos na Palavra para termos um novo direcionamento em nossa vida, continuaremos a agir com base na velha estrutura que antes nos moldava o caráter e nos impelia a agirmos conforme o nosso próprio entendimento. Mudança requer uma substituição de referencial e leva tempo para consolidar-se. Algumas condutas serão necessárias para que esse processo ocorra


Precisamos ter:

a) Disposição para Mudar - 1 Pe 2.1-2

“Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações”

b) Disposição para Obedecer - Jo 15.7

“Se vós estiverdes em mim e as minhas Palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito”

c) Disposição para aprender – Ef 2.20-22

O apóstolo Paulo compara a vida do crente a um edifício em construção : “no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor; No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito”. Essa edificação ocorre à medida que nos dispomos a aprender as Escrituras e colocamos em prática os seus ensinamentos.

3 - Os Frutos do Espírito – Gl 5.22

“Quem está em mim e eu nele, este dá muito fruto” (Jo 15.5b)

Temos uma natureza má e por isso, necessitamos da graça de Deus para vencermos as nossas vicissitudes. Quando damos ouvidos ao Espírito Santo, este nos ajuda em nossas fraquezas e nos ajuda no crescimento para que possamos produzir os frutos do Espírito (Gl 5.22). Jesus disse: “Sem mim, nada podeis fazer” (Jo 15.5c). Precisamos reconhecer que temos limites e que é em nossas fraquezas que o poder de Deus se aperfeiçoa (2Co 12.9).

4 – Sacrifício Agradável a Deus nos Dias de Hoje

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (Rm 12.1)

O apóstolo Paulo nos faz um apelo, para que nos apresentemos a Deus como um sacrifício vivo, santo e agradável. O que isso significa? “Não sabeis vós que sois o Templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1Co 3.16). Se Deus é Santo, importa que o sejamos também (1Pe 1.15). A santidade é um processo que demanda esforço pessoal. A salvação é de graça, mas o Reino de Deus é tomado à força (Mt 11.12).

a) Restauração pela Palavra

“Santifica-os na verdade: a tua palavra é a verdade” (Jo 17.17)

Santificação – significa tornar santo, separar-se do mundo a fim de termos comunhão com Deus.

A santificação ocorre à medida em que desejamos e nos empenhamos em fazer a vontade de Deus e rejeitamos as influências do mundo. Mas para fazermos a vontade de Deus precisamos conhecer as Escrituras, pois ela traduz o pensamento do Criador e nos dá direcionamento para trilharmos o caminho para o Céu. O mundo é cheio de enganos, por isso Jesus disse: “santifica-os na verdade” e complementa o que é a verdade, “a Palavra de Deus”.

A santificação, assim como foi para Israel , é uma exigência para o crente, pois sem a santificação, ninguém verá a Deus” (Hb 12.14). Conhecer a Deus subentende-se conhecer o que Ele pensa e o que deseja para nossas vidas e reter os seus ensinamentos para não pecar. Por isso Jesus nos ensina por meio de uma Parábola dizendo:

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua asa sobre a rocha” (Mt 7.24)

b) Renovação da Mente

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2)

Não conformar é não aceitar, é rejeitar as mentiras satânicas e os padrões morais distorcidos deste mundo que nos são impostos por um sistema corrompido pelo pecado. É viver de conformidade com os valores eternos. Mas essa mudança requer uma nova mentalidade, uma nova maneira de pensar e perceber as coisas. A renovação do entendimento só acontece quando substituímos um conhecimento por outro. Nesse caso, ao compreendermos a Palavra de Deus que nos revela qual seja a boa e perfeita vontade de Deus, procuramos nos ajustar aos padrões morais eternos e abandonamos os velhos conceitos que antes nos orientava. É impossível ter um encontro com Jesus e continuar com a mesma mentalidade.

Conclusão

Pelo conhecimento da Palavra e ação do Espírito Santo somos progressivamente, transformados à semelhança de Cristo (2 Co 3.18).

Este é o caminho da santificação. Esse processo é gradual e ocorre à medida que damos respostas positivas às oportunidades que Deus nos concede para que haja crescimento na vida cristã. Isso ocorre à medida que dermos repostas positivas aos estímulos que nos impulsionam ao crescimento. Precisamos desejar que as mudanças ocorram e nos colocarmos no centro da vontade de Deus e também, nos dispormos a aprender os seus ensinamentos. Tudo isso demanda esforço e dedicação. O crente maduro na fé produz bons frutos e arrasta multidões com o seu testemunho, manifestando a glória de Deus aqui na Terra.

Sonia Oliveira

Veja aqui alguns dos Estudos disponíveis no Arquivo do blog: